segunda-feira, 30 de setembro de 2013

Scania R124L 420

Motor: DSC12 05, 6 cilindros, 11700 cc, 420 hp à 1900 rpm, e 199,1 mkgf
Caixa GRS900R, com 14 marchas (3 + 3 + reduzidas + 2 Crawler)
 Diferencial R780

este conta com suspensão pneumática

Scania R440 6x4 2013

Veículo novinho em folha, fotografado em 2/9/2013, valor de R$ 398 mil, equipado com motor DC13 de 440 hp à 1900 rpm e torque de 234,7 mkgf à 1300 rpm, caixa GRS905R de 14 velocidades com Opticruise e diferenciais RB662+R660.


Volvo FH520 6x4 rodotrem basculante

Equipado com motor D13A de 520 hp à 1800 rpm, 255 mkgf de torque à 1450 rpm, caixa I-Shift e diferenciais RT3210HV, transportando 57 t, este veículo faz 1,9 km/l já considerando trecho vazio e carregado. O que você acha? Está bom para esta composição?


sábado, 28 de setembro de 2013

Caixas automatizadas

Cada dia mais popular pelas estradas, as caixas automatizadas estão ganhando o seu espaço, e seu prestígio entre os condutores.
Vale destacar que não são automáticas, pois estas tem um funcionamento hidráulico, que é diferente; as automatizadas possuem um complexo sistema elétrico, eletrônico, pneumático que realiza as trocas, semelhante à uma pessoa guiando um carro, é como se fosse um robô que faz o serviço.
E por possuir esses atributos, a maciez do engrenamento das marchas, todo o sistema de transmissão é poupado, resultando em economia para o transportador.
Há quem não confie ou quem não goste, mas antes de criticar, é necessário conhecer, e nunca podemos nos esquecer:

"Um dia a TV era de válvula, demorava a esquentar, a imagem com chuviscos e em preto e branco e o gabinete era um caixotão de abelha, detalhe: não havia controle remoto, mas a evolução não para, que tal hoje uma TV de LED 32 polegadas com imagem digital e acesso à internet? Será que presta?"


Volvo FH12 380 4x2 - Exposto na Transpo 95

Motor D12A, de 380 hp à 1800 rpm, torque de 173,40 mkgf à 1300 rpm, VEB de 326 hp
Caixa: SR1700 de 6 marchas [3+3] mais reduzidas e 1 Crawler
Diferencial: RAEV90

PS.: a Transpo 95 ocorreu no Anhembi, São Paulo de 9 à 14 de outubro.




GMC 6-100

Motor Maxion S4 de 90 hp à 2800 rpm, torque de 28 mkgf à 1400 rpm, caixa Eaton FS2305A e diferencial Dana EB411 com relação 4,10


International Dura Star 6x2

Motor MWM International Maxx Force de 260 hp à 2500 rpm, torque de 91,8 mkgf à 1900 rpm, caixa Eaton FS-6406A e diferencial Meritor MS23-245


Scania R113 320 6x4

Motor DSC1121 de 320 hp à 1900 rpm, torque de 145,4 mkgf à 1100 rpm, caixa GR900 e diferenciais RBP831+RP831


sexta-feira, 27 de setembro de 2013

Volvo NL10 340 4x2

Motor TD102FS de 9,6 l, 340 hp à 2050 rpm e torque de 143 mkgf à 1200 rpm
Caixa ZF 16S160 de 16 marchas
Diferencial RAEV90


Volvo FH440 6x2

Motor: D13A, de 12,8 l, com  440 hp à 1800 rpm, torque de 224 mkgf à 1400 rpm
Caixa: AT2512C I-Shift de 12 marchas à frente, 2 crawler e 4 Ré
Diferencial: RS1356SV

Veja o video: https://www.youtube.com/watch?v=jqpgYj45ozs

FH440: sucesso da Volvo

Volvo NH12 460 6x4

Motor D12D, de 11,8 l, com  460 hp à 1800 rpm e torque de 225 mkgf à 1450 rpm
Caixa VT2412B I-Shift de 12 marchas
Diferenciais CTN372 p/ 100 t


Scania R124G 6x4 420

Motor: DSC1205, 6 cilindros, 11.700 cc, de 420 hp à 1800 rpm e 199,1 mkgf à 1450 rpm

Caixa GRS900R de 12 marchas (3+3+reduzidas), além da Crawler

Diferenciais: RB660+R660 nas relações 3,42 / 3,80 / 4,22

Entre-eixos: 3,10 / 3,50 m

CMT: 78 t.






Volvo Novo FH

Será que estará na Fenatran 2013?


Volvo NL10 320 EDC 4x2

Motor D10A, 320 hp à 2050 rpm, torque de 138 mkgf à 1200 rpm (Na época já era Euro 2)
Caixa: ZF 16S 165
Diferencial: RAEV90 p/ 52 t


Scania LKT141 6x4

Motor: DS14, 14.200 cc, 375 hp à 2000 rpm e 151 mkgf à 1300 rpm,
Caixa: GR860 de 10 velocidades
Diferenciais: RBP830+RP830 [p/ 150 t]


Mercedes-Benz 1938 S 6x2

Motor: OM-457LA com 380 hp à 1900 rpm e 189 mkgf à 1100 rpm,
Caixa ZF 16S 1650 de 16 marchas (8+8)
Diferencial: HL7


Volvo NL12 360 6x4

Motor TD122F com potência: 356 hp à 1900 rpm e torque de 160 mkgf à 1200 rpm, caixa ZF 16S 160 e diferenciais CTN372 [para 120 t.]

terça-feira, 24 de setembro de 2013

Sistema de tração com 2 diferenciais (6x4 - 8x4 - 10x4) - bloqueio de diferencial

     Também chamado de traçado, veículo que pelo jeito nasceu na guerra, hoje é uma tendência de mercado. A quantidade de caminhões 6x4 vem aumentando, estes são obrigatórios para tracionar grandes composições, e muitos nem sabem sobre o funcionamento dos diferenciais. O Blog Mundo dos Pesados consultou o engenheiro Evandro Fullin e o mesmo prontamente acertou as arestas.

1) A tração dos caminhões 6x4 e 8x4 atuais funcionam de forma constante, ou seja, os 2 diferenciais funcionam juntos a todo o momento, controlados pelo diferencial ou divisor de torque (montado na carcaça do primeiro diferencial, veja imagem).

2) A tração em dois diferenciais é muito melhor, pois cada eixo recebe 50% de força, suporta mais peso sobre o conjunto e o sistema de freios é otimizado.

3) O consumo de combustível é sensivelmente alterado, dado ao arrasto.

4) Todos os pneus utilizados no conjunto precisam ser iguais, da mesma marca, mesma medida, mesmo desenho, pois o diferencial entre-eixos ou divisor de torque precisa "ler" o movimento dos 8 pneus e corrigir a entrega de força (por isso se chama diferencial, pois tira a diferença de giro)

5) Em caso de tração negativa, ou patinamento, é agora o "X" da questão, é hora de utilizar o bloqueio. Vamos devagar, pois daqui pra frente, precisa ler com atenção.

a] O bloqueio só é utilizado quando o veículo patina.

b] Na maioria dos caminhões 6x4 e 8x4 atuais, o sistema permite 2 estágios de bloqueio.

c] No 1º estágio, apenas o diferencial entre-eixos ou divisor de torque é bloqueado, mas o preciso precisa estar parado e é certeza que duas rodas de cada eixo vão tracionar. Também chamado de bloqueio longitudinal e pode fazer curva.

d] Se mesmo assim patinar, aciona-se o 2º estágio, este é o bloqueio de eixos ou bloqueio transversal, neste caso, as  planetárias são anuladas. O 1º estágio continua acionado e neste caso, não se faz curva, pois o volante não obedecerá, mas se acaso as rodas conseguirem aderência, e o volante esterçado, o equipamento sofrerá sérios danos.

e] Se mesmo assim o veículo não sair, o melhor é pedir para alguém rebocar.

Observações:

       Nos MB 2213 e demais 6x4 com cabine AGL, Ford 22-000 e Dodge 950, o sistema é diferente, pois não tem o divisor de torque na carcaça do primeiro diferencial. O câmbio manda força para a caixa de transferência e ela manda dois cardãs, um para cada diferencial, este sistema é chamado de "perna cruzada", veja matéria:  http://mundodospesados.blogspot.com.br/2014/06/diferenciais-hd4-mercedes-benz.html












Relação de diferencial

3,80, 4,22, 4,78, etc. Com certeza você já leu ou ouviu isso, mas o que são esses números?

São as relações de diferencial, supondo que uma coroa tem 38 dentes e o pinhão tem 10, a relação é 3,80, que é obtido pelo cálculo do nº de dentes da coroa dividido pelo nº de dentes do pinhão.
Quanto maior o número, a relação é mais curta, o que possibilita menos velocidade, porém mais agilidade nas subidas e quanto menor, a relação é mais longa, onde propicia velocidades mais altas, perdendo a mesma em subidas.
é muito importante escolher a configuração certa para o peso certo e estrada certa

quinta-feira, 19 de setembro de 2013

Pneu 275/70 R22,5

Você já deve ter visto este pneu por aí, e sabia que ele proporciona vantagens em relação ao 295/80 R22,5?


* 10 kg mais leve
* 10% mais barato
* 9,97 cm mais baixo
* mesma capacidade de carga
* mesma roda 
* veículo com centro de gravidade mais baixo, o que favorece a estabilidade.

Exemplo da aplicação do 275/70 R22,5